Estudo da Cebrasse revela aumento do empreendedorismo via MEI

0
70
Estudo da Cebrasse revela aumento do empreendedorismo via MEI
Estudo da Cebrasse revela aumento do empreendedorismo via MEI

A Central Brasileira do Setor de Serviços (Cebrasse) elaborou um estudo que mostra que contingente de pessoas ocupadas avançou nesses dois anos de pandemia de Covid, sendo o avanço da opção empreendedora, via MEI na ocupação produtiva do povo Brasileiro. O Presidente da Cebrasse, João Diniz, estaca que esse avanço não pode ser considerado precarização, “uma vez que empregos CLT, de forma não qualificada e de menor escolaridade estão em franco declínio, sendo vocação Nacional o empreendedorismo. Na medida que esse prospera o emprego vem a reboque, por que pode se ter dúvida de quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha, mas não há dúvida de quem veio primeiro o empreendedor ou o emprego”, observou.

O estudo mostra que entre o primeiro trimestre de 2020 e o trimestre março-abril-maio de 2022, o número de pessoas empregadas no Brasil foi de 4,4 milhões de trabalhadores (+4,7%), sendo crescimento no setor privado sem carteira assinada de 1,4 milhão (+12,0%), incremento no setor privado com carteira assinada de 1,2 milhão (+3,4%) e pessoas por conta própria com CNPJ avançou 950 mil (+17,5%). O estudo ressaltou ainda que houve depreciação dos rendimentos em um cenário já comprometido pelos elevados índices inflacionários.

Entre o primeiro trimestre de 2020 e o mesmo período de 2022 o número de pessoas empregadas no Brasil cresceu 2,2 milhões de pessoas (+2,3%), com destaque para trabalhadores por conta própria com CNPJ que aumentou 808 mil (+14,9%). Os empregados no setor privado sem carteira assinada tiveram avanço de 787 mil (+6,9%) e ocupados por conta própria sem CNPJ com expansão de 603 mil (+3,3%).

Em relação aos informais foi verificada uma elevação no primeiro trimestre de 2022 comparativamente ao primeiro trimestre de 2020 de 1,4 milhão de pessoas (+3,9%), tendo avanço dos empregados no setor privado sem carteira assinada de 787 mil (+6,9%) e incremento dos ocupados por conta própria sem CNPJ de 603 mil indivíduos (+3,3%). No trimestre março-abril-maio de 2022 comparativamente ao primeiro trimestre de 2020 a informalidade alcançou 2,3 milhões de pessoas (+6,4%), com trabalhadores no setor privado sem carteira assinada tendo avançado 1,4 milhão (+12,0%) e ocupados por conta própria sem CNPJ expandiu 833 mil (+4,5%).

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here