Setor de serviços se reúne com secretário de Produtividade para falar sobre manutenção do emprego

0
89
Setor de serviços se reúne com secretário de Produtividade para falar sobre manutenção do emprego

Setor de serviços se reúne com secretário de Produtividade para falar sobre manutenção do emprego

Depois de se reunir com o ministro Paulo Guedes na semana passada, desta vez o deputado federal Laércio Oliveira realizou um encontro on line com o secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade Carlos da Costa. Como presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Setor de Serviços, o deputado reuniu cerca de 30 setores que representam cerca de 15 milhões de empregos para tratar do emprego durante e no pós-pandemia.

Na pauta da reunião, ampliação de crédito para micro, pequenas e médias empresas, mais adiamento de impostos, além de propostas de desoneração da folha de pagamento. Além do deputado, diversos setores falaram sobre problemas enfrentados durante a pandemia a exemplo de educação, saúde, segurança, fomento comercial, trabalho temporário, telecomunicações, entre outros.

O secretário falou que o tema prioritário da sua pasta hoje tem sido o crédito para pequenas e médias empresas. Ele também comentou sobre a preocupação das empresas sobre o adiamento dos impostos e que muitos estão preocupados em ter que pagar o dobro de impostos no segundo semestre. “Devemos fazer uma revisão para que as empresas não tenham que pagar mais do que pagariam se não tivesse acontecido o adiamento para que não haja um estrangulamento”, explicou.

Temos medidas emergenciais e também de recuperação da economia. No primeiro grupo está as MPs como a da desburocratização do crédito e a trabalhista. Mas já estamos trabalhando em medidas mais estruturantes para o momento seguinte para agilizar a volta do Brasil para o caminho da prosperidade. E dento dessa pauta estará a desoneração da folha. Para o setor de serviços, isso é ainda mais importante porque essas empresas tem carga tributária sobre mão de obra muito grande”, explicou o secretário.

O secretário lembrou que é importante que não seja uma desoneração setorial, mas uma desoneração para todo mundo. Ele também defendeu o IVA dual e uma descentralização. “Somos a favor de menos Brasília e mais Brasil. A gente gosta que estados e municípios tomem as suas decisões, mas defendemos alguns pilares, a exemplo do não aumento de impostos e simplificação ”, explicou.

O secretário lembrou que o imposto mais complexo do mundo é o ICMS. “As empresas gastam quase mil horas por ano com ele. No segundo país mais complexo do mundo, as empresas dedicam 980 horas para todos os impostos. Isso é um dreno de competitividade para nossas empresas. Por isso a Reforma Tributária está sendo tratada como prioridade”, disse.

Vander Morales

O presidente do Sindeprestem (Sindicato de Prestação de Serviços Terceirizados e de Trabalho Temporário no Brasil) Vander Morales falou que esse governo sabe o que está fazendo, mas destacou o problema que as empresas tem com a Justiça do Trabalho. “Empresas quebram por decisões absurdas. Precisamos colocar umas barreiras”, disse Vander. O secretário disse que o governo concorda em 100% com essa afirmação. “Desregulamentação e desoneração para o fator trabalho é importantíssimo para o Brasil avançar”, disse.