Líderes do setor de serviços avaliam a nova configuração no comando do Congresso Nacional

0
168
Carlos Alberto Baptistão, presidente da Sescon-SP

Para empresários, o foco agora deve estar em fazer o setor ser conhecido no novo parlamento, bem como entrar na disputa pelo poder de agendar e ditar os rumos do tema de interesse no Legislativo

Os dois candidatos apoiados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foram reeleitos para o comando da Câmara dos Deputados e do Senado Federal no último dia 2. Na Câmara, Arthur Lira (PP-AL) venceu com votação recorde. Já no Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) enfrentou uma eleição mais disputada, mas ainda assim conquistou seu segundo mandato com uma boa margem sobre o candidato Rogério Marinho (PL-RN).

Após essa fase, a definição dos blocos partidários nas duas Casas (Congresso e Senado), seguem sendo articuladas. A expectativa dos líderes partidários é finalizar o acordo até o final desta semana. Enquanto essa trama se desenrola em Brasília, os empresários e líderes do Setor de Serviços brasileiro acompanham com atenção as tendências.

Leia, a seguir, a opinião de três empresários: Carlos Baptistão (Sescon-SP), Arnaldo Basile da Abrava e Ricardo Nogueira, da Abralimp:

“O que nós, do Sescon-SP, entendemos é que o segmento de prestação de serviço precisa manter posição firme, acompanhar de perto a evolução da Reforma Tributária, porque o Setor de Serviço é o que mais emprega no Brasil, que assim empregando é o que mais paga e contribui com o PIB e com a massa salarial. E são estes dois fatores – PIB + Massa – que fazem o desenvolvimento do país, inclusive ajuda a Indústria e o Comércio também a crescerem. Portanto, nós esperamos que o Setor de Serviços seja ouvido e levado em consideração na Reforma Tributária. E o que nós esperamos é que o governo, juntamente com as Casas Legislativas cuidem bem, e primeiro, da reforma administrativa. Cuidar dos gastos para depois pensar na arrecadação.” – Carlos Alberto Baptistão

Arnaldo Basile da Abrava
Arnaldo Basile da Abrava

“Relembrando as palavras de Ulisses Guimarães: ‘A política é como as nuvens no céu: a cada momento têm posições e configurações diferentes’. A missão dos Srs e Sras parlamentares é legislar em nome dos seus eleitores, com o compromisso de atender as demandas da Sociedade. Seus posicionamentos e debates políticos na Câmara e no Senado devem refletir democraticamente o grau de importância e os ajustes necessários dos projetos legislados. Essas demandas são dinâmicas e alteram em função das complexas necessidades que os inúmeros setores da Economia e Segmentos da Sociedade interagem dentro e fora do Brasil. É previsível que necessitem do auxílio e que mantenham interação com especialistas representantes dos diversos segmentos sociais para cumprirem suas missões como legisladores. Como cidadão e empresário brasileiro ‘Eu’ creio que somos parte desses representantes e que sabemos como manter interlocução com parlamentares, particularmente neste início de ano legislativo que conta com considerável quantidade de novos parlamentares. Por isso acredito que com a representatividade da Cebrasse o parlamento brasileiro a entenderem com propriedade as demandas dos nossos diversos setores da economia”, Arnaldo Basile.

Ricardo Nogueira, presidente da Abralimp
Ricardo Nogueira, presidente da Abralimp

“Independente dos nomes que figuram nas cadeiras do Congresso Nacional para os próximos quatro anos, a Abralimp espera que seja feito um excelente governo, com projetos e tomadas de decisões assertivas e que possam surtir impactos positivos para a sociedade em termos econômicos e sociais. Como representantes da cadeia produtiva da limpeza profissional, a Abralimp se coloca à disposição para discutir temas que possam agregar valor à produtividade das empresas e na geração de renda e empregos. Acreditamos que um ponto importante para promover a geração de emprego e renda é a reforma tributária, no sentido de desonerar a Folha de Pagamento. Lembro aqui que a limpeza profissional tem um importante papel social, ao empregar mais de 1 milhão de trabalhadores no País, a maioria pertencente à base da pirâmide”, Ricardo Nogueira.

Errata:

Por um equívoco, informamos erroneamente que o nome do presidente da Abralimp é Ricardo Tufan quando, de fato, é Ricardo Nogueira. Pedimos desculpas aos nossos leitores e associados!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here