Cebrasse solicita diálogo permanente com o MDICS

0
151
O ex- governador de São Paulo Geraldo Alckmin em foto de 2018 — Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
O ex- governador de São Paulo Geraldo Alckmin em foto de 2018 — Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Entidade tem contribuído com o debate público sobre a Reforma Tributária, bem como avaliado estratégias para o futuro do segmento no Brasil

Diretores da Central Brasileira do Setor de Serviços (Cebrasse) se reuniram com secretários do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços na última sexta-feira, dia 5. O encontro aconteceu após a entidade enviar um ofício ao vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, que é também ministro do MDIC, propondo uma interlocução honesta e responsável entre a entidade e o ministério. O objetivo da reunião foi discutir a Reforma Tributária e os impactos no setor de serviços, bem como outros temas de interesse do segmento.

Diversos dirigentes da Cebrasse participaram do encontro, entre eles o presidente João Diniz e o vice-presidente de Sustentabilidade da entidade, Livio Giosa. O presidente do Sindeprestem Vander Morales, O presidente da Febrac, Edmilson Pereira, e a superintendente da Federação, Cristiane Oliveira, participaram da audiência com o secretário Executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Márcio Elias Rosas.

Os líderes empresais ressaltaram que a Cebrasse representa 61 entidades e associações empresariais dos diversos segmentos do setor de serviços, correspondendo a cerca de 10 milhões de empregos e 962 mil empresas. O setor de serviços é responsável por mais de 70% do PIB brasileiro e um volume crescente de empregos de qualidade. A entidade reiterou a necessidade de uma Reforma Tributária que garanta a simplificação e competitividade sem onerar ainda mais o setor de serviços. A desoneração da folha de pagamentos e alíquotas variadas devem ser consideradas para a construção de um consenso que permita o crescimento com empregabilidade e um futuro melhor para o país.

Publicamente, a Cebrasse sugere uma participação mais profunda e constante entre a entidade e o MDIC, com a participação da entidade em comitês e comissões que poderão ser formadas, coletânea de estudos e pesquisas que possam auxiliar o ministério a considerar dados do setor, abertura de um canal constante de interlocução e formulação de sugestões estratégicas que possam fornecer ao Ministério informações para tomada de decisão e proposição que atendam às demandas do setor e em prol do Brasil.

“A equipe mais operacional, que é a mais importante, nos atendeu junto com a diretora do setor de serviços e nós tivemos a oportunidade de apresentar as nossas, o nosso pensamento, nossas teses sobre a questão da reforma tributária. Então foi a reunião que foi muito producente. Deixamos, inclusive, todos os documentos que definem o pensamento do setor de serviços da separação a respeito da reforma”, avaliou Giosa.

No encontro o grupo também reivindicou a participação da Cebrasse em todos os comitês ou comissões que forem desenvolvidas pelo Ministério. “Para que a gente possa ajudar a definir as políticas públicas referentes ao setor nesta gestão dos próximos cinco, dez anos e incorporar bases de dados que normalmente eles não têm atualizadas, mas que tenham a plena percepção do que o setor de serviços representa e formular juntos programas que possam demandar boas práticas para o setor”, afirmou.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here