Setor de segurança privada comemora relatoria do Estatuto da Segurança Privada

0
103
Autair Iuga, Avelino Lombardi e Jeferson Furlan Nazário
Autair Iuga, Avelino Lombardi e Jeferson Furlan Nazário

A Cebrasse News ouviu representantes do setor de segurança privada para saber a opinião sobre a indicação do senador Laércio Oliveira como relator do Estatuto. Eles destacaram pontos importantes do texto como a segurança jurídica, recuperação de empregos e também a certeza que o projeto vai avançar e logo virar lei.

Jeferson Furlan Nazário, presidente da Fenavist
Jeferson Furlan Nazário, presidente da Fenavist

O presidente da Fenavist Jeferson Furlan Nazário afirmou que “agora com Laércio Oliveira, finalmente o Estatuto da Segurança Privada, tão esperado e de fundamental importância para o desenvolvimento do setor da segurança privada no nosso país, seja aprovado no Senado Federal. A nova lei vai proporcionar mais segurança jurídica para os empresários, além de um controle mais efetivo por parte do órgão fiscalizador, que é a Polícia Federal, e vai garantir a recuperação dos milhares de postos de trabalho que foram perdidos nos últimos dez anos e que sem a nova lei seria impossível”, disse.

 

 

Avelino Lombardi, diretor da Fenavist
Avelino Lombardi, diretor da Fenavist

O diretor da Fenavist Avelino Lombardi registrou sua felicidade em saber que o Senador Laércio conseguiu a relatoria. “Tenho certeza que agora esse projeto vai tramitar rumo a aprovação definitiva e da Sansão Presidencial.

Como sempre o Laércio colocando o setor de serviços em primeiro lugar, independentemente de interesses outros. O Senador se solidifica cada vez mais como nosso legítimo representante dentro do Congresso Nacional”, disse.

 

 

Autair Iuga, presidente do SEMEESP/SP
Autair Iuga, presidente do SEMEESP/SP

O Presidente do SEMEESP/SP Sindicato das Empresas de Escolta do Estado de São Paulo), Autair Iuga, destacou que há a certeza que hoje Laércio é a pessoa mais capacitada para dar rumo a sua aprovação. “Todos nós sociedade civil, vigilantes e empresários do setor temos esperado ansiosamente que sua aprovação aconteça. Também temos a certeza de uma lei mais atualizada e moderna que certamente vai gerar segurança jurídica, milhares de empregos e renda para nosso Brasil, substituindo a lei 7.102/83 , ou seja 41 anos de existência, tem que ser alterada”, observou.

Iuga afirma ainda que o senador transita em todo setor de serviços, dentre eles o da Segurança Privada “e sempre se demonstrou sua competência nos assuntos que abraça como causa. Certamente o mercado como um todo vai se lembrar de sua atuação nesse tema e vai guardar em nossas memórias e corações o sentimento de gratidão e respeito”, concluiu.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here