ATIVIDADES EM ALTA NO MERCADO, APESAR DA CRISE

0
101




Cebrasse News
27 de Agosto de 2018

https://i0.wp.com/www.cebrasse.org.br/downloads/imprensa/24.06.14_9.jpg?w=696

ATIVIDADES EM ALTA NO MERCADO, APESAR DA CRISE

Por Lúcia Tavares

Na edição do último dia 20 do jornal O Globo publicou a “Confira os salários das carreiras que estão em alta no país” da jornalista Pollyanna Brettas, informando que embora 12,9 milhões de trabalhadores estejam desempregados no país, profissionais que atuam em inovação e transformação digital e em atividades estratégicas de recursos humanos, além dos de outras duas áreas, “estão em alta no mercado”. “Para especialistas em mercado de trabalho e recursos humanos, habilidades que favorecem os negócios no ambiente digital, capacidade de gestão de projetos, planejamento financeiro e orçamentário e boa desenvoltura em relacionamentos estão entre as características mais buscadas pelas empresas neste primeiro semestre”.

Membro do Conselho Deliberativo da Cebrasse e presidente do Sindeprestem e da Fenaserhtt, sindicato paulista e federação nacional das empresas de serviços terceirizáveis e de trabalho temporário que representam também as empresas de RH, Vander Morales está já há anos atento à ágil e irreversível evolução do ambiente digital no Planeta, no Brasil, no mercado e na vida das pessoas.

Em junho, o empresário e seu vice-presidente Fernando Calvet foram à Irlanda para o encontro anual da World Employment Confederation – WEC que reuniu 40 países na abordagem das paradigmáticas e constantes transformações que a tecnologia da informação parametriza constantemente na gestão e na empregabilidade dos negócios.

Novos modelos de contratação e diversas formas de cumprimento de tarefas alinham-se às inovações na produtividade das empresas, e Morales observa que, simultaneamente à flexibilização nas formas de se trabalhar, as pessoas também desejam estabilidade e respeito aos direitos sociais. Para ele, é importante a tarefa de apoiar empresários e trabalhadores nesse momento de mudanças irreversíveis em que o mercado busca por especialização, e o grande problema é justamente a relação entre qualificação e empregabilidade.

Em Manaus no último dia 17, o Sindeprestem e a Fenaserhtt participaram do “1º Seminário Terceirização de Serviços: caminho para o desenvolvimento”, realizado pelo Sindeprest-AM no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas. A importância da união empresarial como ferramenta eficiente da representatividade foi destaque na apresentação de Vander Morales, para quem a interlocução e alianças com outros setores e elementos da cadeia produtiva contribuem na tomada de posições e no fortalecimento da prática de reivindicação de mudanças.

“Serviços e Indústria, os maiores empregadores do país, precisam caminhar juntos, porque o empresariado precisa ter consciência do importante papel de sindicatos atuantes que, de fato, utilizam o agrupamento para produzir e reivindicar políticas específicas para os seus representados", alertou Morales ao apontar a necessidade do enquadramento sindical.

Raynor Aguiar, presidente do Sindeprest-AM e vice-presidente da Fenaserhtt salientou o índice de 68% da mão de obra do estado empregada pelos Serviços; e que a lei da Terceirização favoreceu a atividade sem que tenha havido retirada de direitos do trabalhador e redução nas contratações pelas empresas.

A importância do encontro no esclarecimento de dúvidas quanto à contratação de terceiros para a execução de serviços especializados, pois "a terceirização não é uma carta branca para qualquer tipo de contratação, e a lei prevê medidas fundamentais de proteção ao trabalhador”, foi apontada por Nelson Azevedo, vice-presidente da FIEAM.

Na composição da mesa, os trabalhadores foram representados pelos presidentes do Sindcomprestes e do Sindbomam, Júlio Nascimento e José Mendes, que apresentaram possíveis soluções para a diminuição de conflitos e a melhoria da relação entre empresários e trabalhadores.

O advogado Alberto Dantas palestrou sobre a nova legislação. Para a diretora Administrativa da Valle, Ângela Nascimento, o encontro “sanou qualquer dúvida a respeito da nova lei da Terceirização, pudemos entender melhor a questão salarial, o tempo necessário para o profissional ser recontratado ou prestar serviços ao antigo tomador".



Vander Morales e Fernando Calvet ao lado de Raynor Aguiar, presidente do Sindeprest-AM, e
dos diretores do Sindeprestem Eunice Cunha e Paulo Magalhães


ASSISTA AQUI AO VÍDEO DO EVENTO

 

 

NO FOCO DA CEBRASSE, INCONSTITUCIONALIDADE DA
SÚMULA 331 DO TST, NOVA LEI DE LICITAÇÕES E
REFORMA TRIBUTÁRIA

Por Lúcia Tavares


Ao centro, João Diniz tem a sua direita Avelino Lombardi, Rui Monteiro, Renato Fortuna e Luciano Galea. Do outro lado, Livio Giosa, Marcos Nóbrega, Ermínio Lima Neto, Diogo Akashi e Percival Maricato

Enquanto na tarde da quinta-feira (23) o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) votava pelo segundo dia a constitucionalidade da terceirização das atividades-fim das empresas, a Diretoria Nacional da Cebrasse discutia o assunto em reunião na Sede do SEAC-SP. Por três vezes (nos processos movidos pela Cenibra, ABAG e Contax), a entidade foi acolhida pela Suprema Corte como representante do setor nacional de serviços na função de amicus curiae, sustentando teses enfáticas para a suspensão da Súmula 331/1993 do TST. No início da noite, já encerrada a reunião da Central Empresarial, o STF adiou a votação, a ser retomada no próximo dia 29.  

Ao destacar o fato o ministro Luís Roberto Barroso ter citado textualmente em suas manifestações teses apresentadas pela Cebrasse relativas aos projetos de lei da terceirização e da reforma trabalhista, “nos quais felizmente fomos protagonistas”, o presidente da entidade, João Diniz avaliou que avaliou que “vencedora a nossa tese da derrubada da súmula, realmente teremos um panorama muito bom, reiterado na esfera trabalhista de terceirização, para findar o ano com o pé direito e com novos panoramas políticos, torcendo para que venha realmente um presidente da República eleito de acordo com o mercado, que é o que o Brasil necessita para crescer”.

Titular do escritório que representa a Cebrasse junto ao STF na arguição da inconstitucionalidade da súmula 331, Percival Maricato observou que uma vitória na ação traria “um basta jurídico” acerca da questão. Citou a terceirização como “irreversível processo de especialização”, observou que as pessoas estão entendendo que a modalidade de contratação “não é um bicho de sete cabeças”, e que “a própria Justiça do Trabalho irá se adequar, principalmente depois de uma decisão da Suprema Corte. Afinal, se um juiz não quer obedecer à lei, não sei mais quem é obrigado a obedecer?”.

Outro tema em pauta foi a tramitação do novo projeto de lei para as licitações públicas, acompanhada na Câmara Federal pelo assessor Parlamentar Ermínio Lima Neto, “para que os interesses do setor de serviços sejam atendidos e o processo licitatório tenha lisura e transparência”, observou Diniz.

NR: Em Brasília, na quinta-feira, 23, o deputado Laércio Oliveira alertou os demais parlamentares para a importância de pensar a lei de licitações com uma visão destacada para o setor de contratação de serviços continuados e as suas particularidades, cuja aplicação deve constar no texto. “Apresentamos através de um estudo as sugestões de alteração de diversos artigos, todos com interferência diária na rotina das empresas que licitam serviços continuados”, disse o parlamentar. Leia aqui

NR: A Cebrasse também acompanhou, na quarta-feira do dia 22, o julgamento do STF sobre a terceirização da atividade fim, no qual ministro Barroso afirmou que “bem regulada e com responsabilidade subsidiária, a modalidade de contratação é melhor para o mercado de trabalho, e que empresários podem precisar desse tipo de contratação de maneira emergencial, sem elevação brusca de custos. Para Luiz Fux, a medida não violará os direitos dos trabalhadores consagrados constitucionalmente”. Em sua sustentação oral na representação da Cebrasse, advogado Flávio Unes defendeu a inexistência de relação entre terceirização e precarização do trabalho. . Para o assessor Jurídico da entidade, Diogo Akashi, a súmula 331é vaga, preconceituosa e sem base legal. Leia aqui


Mutirão de limpeza em setembro

No dia 15 de setembro, sábado, empresários e trabalhadores do segmento de asseio e conservação unirão forças para realizarem mutirão de limpeza e manutenção dos principais pontos turísticos brasileiros. 

Promovido pela Federação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços de Limpeza e Conservação (Febrac), em conjunto com os Sindicatos Associados, a 11ª Ação Nacional Febrac é um instrumento prático de educação ambiental realizada anualmente no Dia Mundial de Limpeza.

“A sustentabilidade é uma das maiores preocupações do momento do setor de Asseio e Conservação. A Ação de Cidadania é uma forma das empresas associadas darem exemplo para as demais da importância do uso consciente do meio ambiente e das técnicas de trabalho responsáveis. É uma forma também de ajudarmos a conscientizar a sociedade sobre a necessidade de valorizarmos e cuidarmos dos nossos espaços públicos", afirmou o presidente da Febrac, Renato Fortuna Campos.

Para desenvolver a Ação, as empresas disponibilizarão luvas, sacos biodegradáveis, ancinhos, e outros instrumentos para limpeza, coleta e separação do lixo reciclável. Além disso, realizarão jardinagem, poda de árvores, reposição de grama, reparos em calçadas e meio fio e pintura de canteiros e bancos, bem como, distribuirão mudas nativas e material informativo sobre a importância da preservação do meio ambiente e da reciclagem do lixo, distribuição. 

A população poderá acompanhar e participar de todo trabalho desenvolvido durante a Ação Nacional. E receberão também informações de conscientização ambiental e mudas de plantas nativas. “A mobilização pretende agregar mais de mil empregados e empresários prestadores de serviços terceirizados, num esforço de conscientização ambiental em todo país e será realizada nos principais pontos turísticos das capitais brasileiras”, contou o presidente da Febrac.

Com o aumento da competitividade, cabe às organizações se inspirarem para atitudes inovadoras. No centro dessa abordagem está o colaborador, que deve ser mobilizado para novas atitudes transformadoras à luz da sua sensibilização e emprego da tecnologia.

Assista à palestra: Inovação, Novos Modelos Tecnológicos e os Impactos no Mercado, de Lívio Giosa, autor dos livros “Terceirização: Uma Abordagem Estratégica”, “O Brasil Profissional: A Hora e a Vez da Competência” e “As Grandes Sacadas de Marketing do Brasil”, na sede da Abralimp no dia 04 de setembro às 8h30, quando debateremos os seguintes assuntos:

– Como apertar o “click” da inteligência corporativa

– As novas competências para a melhoria da gestão

– Como identificar as metodologias e procedimentos que consolidarão as boas práticas internas;

– Capital humano X tecnologia = inovação permanente

– Os Fatores Básicos de Êxito das organizações inovadoras

– Fator Reciprocidade e os Núcleos de Gestão pela Inovação e Conhecimento – Nugic’s

– Gestão do Conhecimento e o ambiente colaborativo impactando a empresa e o mercado


Palestra sobre SLA é ministrada na sede do SEAC/Sindesp-SC

Osmar Viviani ministra palestra sobre Acordo de Nível de Serviço,
em evento promovido pelo Instituto Catarinense de Educação Profissional

ASSISTA AO VÍDEO

CCT Transporte de Valores 2018-2019

Protocolada em agosto a Convenção Coletiva de Trabalho 2018-2019 do setor de transporte de valores em Santa Catarina. As partes fixaram a vigência da CCT no período de 1º de maio de 2018 até 30 de abril de 2019, tendo como data-base da categoria, 1º de maio. O documento terá impacto nas empresas do segmento nos municípios de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Joaçaba, Joinville, Lages e Tubarão. 

Entre os principais pontos abordados estão o reajuste salarial para o período, a disposição sobre substituição de empregado, a possibilidade de antecipação do 13º salário e remuneração da hora extraordinária. Leia mais

CENTRAL BRASILEIRA DO SETOR DE SERVIÇOS – CEBRASSE
Rua Baronesa de Bela Vista 411 – Vila Congonhas -conj 304,305
São Paulo – SP – CEP 04612-001 – Telefone: (11) 3251-0669 / 3253.1864