Os rumos da terceirização

0
526

Avelino Lombardi

Florianópolis – 05/04/2017

A terceirização sempre foi uma ferramenta de gestão das empresas, entretanto algumas lideranças sindicais, os magistrados do trabalho e alguns parlamentares não entendiam e não entendem assim. As atividades terceirizadas a partir da entrada em vigor da nova lei passarão a ser reconhecidas em todo território nacional. As empresas terão segurança jurídica ao tratarem nas relações contratante e contratada, bem como os órgãos de governo passarão a respeitar estas relações e não mais avaliarem as empresas terceirizadas como exploradoras de mão de obra, com intenção de precarizar as relações entre capital e trabalho.
Certamente haverá mais empregos disponíveis porque uma empresa não precisará mais ter suas atividades feitas mediante contratação de novos empregados. Elas poderão terceirizar os serviços que entenderem que podem terceirizar e pelo tempo que for necessário. As atividades serão realizadas por especialistas. Sendo assim, as companhias não precisarão mais ter expertises em todos os setores, podem focar de maneira mais estratégica em seu negócio, fortalecendo-se e auxiliando no crescimento de outras empresas especializadas em diferentes áreas específicas. Nós do Seac-SC (Sindicato Empresas de Asseio Conservação e Serviços Terceirizados) entendemos que o principal benefício esta lei será a maior segurança jurídica que as empresas passarão a ter.
A partir deste texto quem não tiver competência para montar uma estrutura organizacional de acordo com a realidade que o mercado exige estará fadado ao insucesso empresarial. Os ventos começam a soprar de forma diferente no nosso país, o que nos motiva a acreditar que haverá melhores dias para as empresas terceirizadas. Precisamos entender que esse é só o primeiro passo, temos uma luta enorme pela frente. Vamos trabalhar as leis das cotas e um tratamento mais igualitário dentro da economia. As empresas de serviços têm sido tratadas de forma discriminada em comparação com os outros setores econômicos. Precisamos exigir por parte do Estado e dos demais segmentos que nos respeitem, afinal quem gera mais empregos nesse país é o setor de serviços. O Seac-SC seguirá sua missão de trabalhar pela valorização das empresas associadas e consequentemente dos trabalhadores terceirizados.

Avelino Lombardi

Avelino Lombardi

Presidente do Seac-SC

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here