MP da reforma trabalhista bate recorde em número de emendas

0
450

VALOR ECONÔMICO – 22/11/2017
Com quase 900 emendas apresentadas à proposta, um recorde histórico, a medida provisória (MP) que altera pontos da reforma trabalhista deve ter o PT na presidência da comissão de deputados e senadores que discutirá o projeto
Com quase 900 emendas apresentadas à proposta, um recorde histórico, a medida provisória (MP) que altera pontos da reforma trabalhista deve ter o PT na presidência da comissão de deputados e senadores que discutirá o projeto. O deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), que foi relator do projeto de lei da reforma na Câmara, pode repetir o papel na MP, segundo fontes.
Em um esquema tácito de revezamento entre as duas Casas, a relatoria caberá à Câmara e a presidência do colegiado, ao Senado. Por esse mesmo esquema, a relatoria caberia ao PMDB. Mas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), trabalha para que Marinho fique novamente com a relatoria para evitar grandes mudanças na proposta.
Em outra frente, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), tenta convencer o PT a abrir mão da presidência da comissão. Caberia a um senador petista conduzir os trabalhos no colegiado, estabelecendo o calendário de audiências públicas e votações, convocando as sessões e, principalmente, decidindo sobre questões de ordem.
O governo editou a MP num acordo com os senadores para “agilizar” a aprovação da reforma trabalhista. A proposta tinha como objetivo mudar pontos que os senadores discordavam do projeto sem que tivesse que voltar para a Câmara, como a permissão para que grávidas trabalhasse em locais insalubres. A nova legislação entrou em vigor na semana passada, mas sua aplicação está sendo contestada pelas mudanças agora discutidas. Continue lendo no Facebook da Cebrasse