Diniz participa de evento do Fórum Parlamentar do Empreendedorismo

0
129
Diniz participa de evento do Fórum Parlamentar do Empreendedorismo

O encontro foi mais uma edição dos ‘Diálogos Tributários, organizado pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (AlShop) e pela frente parlamentar do empreendedorismo

Nesta terça-feira, dia 18, o presidente da Cebrasse, João Diniz, participou de um debate sobre reforma tributária em Brasília, juntamente empresários e empresárias de vários setores. A tônica entre os líderes foi de que desoneração da folha de pagamentos precisa ser votada ainda neste ano pelo Congresso.

A atividade também contou com a presença de Alexandre Yawata, secretário Especial de Produtividade e Competividade do Ministério da Economia, do senador Laércio Oliveira (Progressistas) e com o presidente do Instituto Unidos Brasil (IUB) e da Associação de Lojistas de Shopping Centers (Alshop), Nabil Sahyoun.

De acordo com Diniz, o motivo da Central prestigiar o debate foi para falar da importância da desoneração da folha de pagamento. Houve a apresentação da proposta e foi feita uma exposição, tanto pelo secretário como por técnicos do Diálogos Tributários, avaliando que o Congresso está com bastante força, pois mudou o perfil, e o Executivo perdeu força”, explicou.

“Pedi que a desoneração ainda saia este ano. É difícil, mas não é impossível”, avaliou o presidente do Instituto Unidos Brasil (IUB) e da Associação de Lojistas de Shopping Centers (Alshop), Nabil Sahyoun.

Como? Durante a atividade, os líderes avaliaram que o Legislativo ganhou em razão de aprovação de mudanças e de medidas provisórias que antes quando não eram aprovadas sem avaliação; agora, ocorrerá o contrário, se não aprovadas são caducadas; além disso, há o Poder de Veto do Congresso Nacional.

“Isso também faz com que a maior parte da pauta legislativa aprovada seja oriunda do Legislativo mesmo, e não do Executivo. Falou-se também sobre a diminuição do número de partidos, em virtude da aprovação da federação eleitoral: passou de 30 para 12 na legislatura que inicia em 2023.

O secretário do Ministério da Economia fez um balanço da conjuntura atual, das perspectivas para o próximo ano, que, segundo ele, são boas; e o mercado está revendo todos os números, tanto de empregabilidade quanto de PIB e de taxas de juros. “Então tudo isso faz com que exista uma previsão otimista caso haja continuidade do governo Bolsonaro em 2023”, avalia João.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here