Presidente da Abrafac celebra a entrada dos gerentes de facilitie na CBO

0
141
Irimar Palombo, presidente da Abrafac
Irimar Palombo, presidente da Abrafac

Com reconhecimento, será possível saber mais sobre os trabalhadores do setor, inclusive quantos são e onde estão. Leia, a seguir, a entrevista com a presidente da Abrafac, Irimar Palombo, sobre a trajetória dessa conquista para o setor de serviços do Brasil.

Cebrasse News – Vocês têm uma estimativa do número de trabalhadores que serão beneficiados com essa classificação?

Irima Palombo | ABRAFC – No Brasil não temos o número de profissionais que trabalham como profissionais de Facility Management, mas podemos considerar que todo prédio existente possui uma equipe trabalhando em prol da operação e conservação. E, mesmo que não saibam, eles compõem equipes de Facility Management.

A CBO (Classificação Brasileira de Ocupação) nos dará essa estatística que quantos somos, onde estamos, quem somos, e muito mais.

CN – Essa função já teve outro nome? É recente? Ela engloba atividades diversas que, no passado, eram realizadas separadamente?

Irima Palombo | ABRAFC – Essa função é antiga, desde que temos edifícios e ambiente de trabalho, temos um FM. Mas o nome mudou ao longo dos anos e a atividade já foi nomeada de diversas formas como: manutenção, serviços, serviços gerais, infraestrutura, e vários outros nomes. O escopo dessa área pode ser divergente de organização para organização, mas é, basicamente, composta por todos os serviços de suporte que permitem o desenvolvimento do negócio de maneira segura pelos seus funcionários.

Facility Management cuida de pessoas através das instalações e processos, assim temos comumente os seguintes serviços como escopo do FM: Manutenção Predial (de onde surgiu), limpeza, vigilância, frota, mensageria, logística, reformas e outros.

CN – Existe formação educacional para ser gerente de Facility Management? Se sim, o setor também ajudou a formatar esses cursos de formação? E onde os interessados podem encontrar pelo país?

Irima Palombo | ABRAFC – Não existe uma formação específica como Facility Manager. Os profissionais desta área comumente tem formação em engenharia e, em alguns casos, também em administração de empresas. Até pela natureza de cuidados com segurança e manutenção, muitos também chegam pela engenharia.

Existem cursos de pós-graduação na área, como por exemplo, o MBA em Gerenciamento de Facility da USP e do SENAI.

A ABRAFAC possui uma Certificação Profissional, que atesta o grau de maturidade do profissional na área. Imagine que, com um escopo tão diverso, encontrar o profissional adequado é um trabalho desafiador para a área de pessoas de qualquer empresa. Desta forma, a certificação é uma avaliação formal do conhecimento no setor de FM.

CN – Com relação a gênero, escolaridade e faixa etária, existe um perfil desse trabalhador que passa a atuar como gerente?

Irima Palombo | ABRAFC – Facility management é uma área democrática e diversa. Todos podem participar desde que tenham as competências técnicas necessárias – que estão atreladas ao escopo de cada empresa.

CN – Durante o processo de reconhecimento da ocupação na CBO, existia alguma resistência com relação à criação da família da ocupação na Classificação?

Irima Palombo | ABRAFC – O processo foi longo e vem se desenrolando há anos. A ABRAFAC tem 19 anos e posso dizer que desde o início, ter nosso CBO foi uma meta.

Os desafios vieram mais do desconhecimento da existência da profissão, pois, muitos profissionais atuantes na área desconhecem que são profissionais de Facility Management.

Através do CEBRASSE tivemos algumas reuniões junto ao Ministério do Trabalho com distintos secretários que por lá passaram ao longo dos anos e protocolamos a solicitação.

O Ministério do Trabalho e a equipe de CBO do Ministério foram sempre receptivos e didáticos. Tivemos também o apoio da FIPE por contratação do MT. Mas o volume de trabalho é grande, então, posso dizer que não houve resistência. Houve uma fase de conhecer e entender o processo e depois o trabalho árduo de preenchimento, pesquisas e reuniões para entregar ao Ministério as informações necessárias para esclarecer o que é a profissão.

CN – Qual foi o papel do setor – da Abrafac – nessa conquista?

Irima Palombo | ABRAFC – O setor vem se organizando ao longo dos anos através do trabalho da ABRAFAC que é a única associação do setor. Além disso, a ABRAFAC é associada ao CEBRASSE –o que abriu as portas do Ministério do Trabalho para que pudéssemos encaminhar nosso pleito.

Os profissionais de FM que compõem a diretoria e conselho de administração da ABRAFAC dedicaram muitas horas no processo e o resultado é para todo profissional da área.

CN – Quais os próximos passos?

Irima Palombo | ABRAFC – Agora que existimos oficialmente, precisamos fazer um trabalho de divulgação para que profissionais e empresas saibam que pertencem ao código de ocupação 1421-40 que engloba também o gerente de infraestrutura, gerente de propriedade, gerente de workplace e profissional de FM.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here